top of page

Anima - a Imagem Feminina no Homem

Quando pensamos o ser humano do ponto de vista junguiano, assim como em diversas tradições, entendemos que somos bipolares. Possuímos tanto a polaridade masculina quanto feminina, o yin e yang para a cultura chinesa. Homem e mulher são apenas facetas dessas duas vastas energias que compõem o universo em que vivemos. Alguns atributos que podemos dar a energia masculina seria linear, racional, ativa, fecundante, discriminativa e para a energia feminina podemos pensar em receptividade, passividade, aquilo que une, circular.


Todos nós somos, portanto, compostos de todos esses atributos em diferentes escalas. Dentro da visão de psique de Carl Gustav Jung, o homem teria o feminino como sua parte inconsciente e na mulher, os atributos masculinos seriam os inconscientes então. Para essas figuras, ele nomeou Anima - o feminino no homem e Animus - o masculino na mulher. Essas figuras estão presentes em nossas manifestações inconscientes, como sonhos, fantasias, atos falhos, acessos de descontrole, etc.


É evidente que através do mecanismo de projeção aprendemos essas qualidades nos relacionando também com o sexo oposto, mas é importante conhecer o seu aspecto interior para torná-lo consciente e não mais ser refém dele. Perceber que somos seres inteiros, não temos uma metade faltando que precisa ser buscada do outro lado, ela precisa ser buscada dentro de nós. Quanto mais conhecermos esse aspecto interior, menos projetaremos lá fora e mais saudáveis se tornarão nossas relações.

desenho de um homem e uma mulher
somos bipolares

Decidi escrever sobre esse tema a partir da leitura do livro Uma busca interior em psicologia e religião, de James Hillman. Em determinado momento, ele aborda imagens da anima nos sonhos, ou seja, possíveis manifestações inconscientes deste feminino nos sonhos dos homens. Estas imagens ajudam a indicar caminhos do que está se passando na psique masculina. Antes de apresentar este conteúdo, vale pontuar também que arquétipos são imagens universais e se traduzem de diferentes maneiras para cada individualidade. De maneira nenhuma, o que será apresentado é algum tipo de manual para ser seguido. São apenas imagens que nos ajudam em nossa viagem interior.


“Quanto mais distantes nos encontrarmos e mais escuro for o abismo entre a noite e o dia, mas sedutoras e encantatórias serão as imagens a nos chamar.”


Ou seja, quanto mais inconsciente essa anima for, mais sedutora e dominadora ela será para esse homem. A seguir veremos algumas dessas imagens:


A primeira imagem que este autor nos apresenta é da mulher mais velha com ares de professora e perfeccionista, ela pressiona continuamente, pois nada nunca está suficientemente bom. Leva-nos a fazer as coisas cada vez melhor e rejeitar o que foi feito. Em nome de ideais elevados, acaba por nos convencer de nossa inutilidade. Pode levar à desgraça, levando a uma perda de iniciativa. Outra figura compensatória seria essa mesma mulher mais velha, porém com qualidades benéficas. Como uma boa tia, boa ouvinte, que possui conselhos e sabedoria e não há envolvimento sexual. Há carinho e generosidade, mas exige contenção e direcionamento. Pode indicar um caminho de desenvolvimento psíquico positivo, de interiorização e reordenação da vida.


Uma outra figura que parece positiva, porém é excessiva é a falsa noiva, que casa o homem com valores errados. Seria aquela que sempre o encoraja, fazendo-o acreditar que é super incrível, mas na verdade ela diz isso porque está apaixonada por ele. Enquanto imagem interna representa o amor por si próprio, mas não num sentido elevado, mais como uma paixão. Ela pode apresentar-se como uma pessoa ligeiramente vulgar, ambiciosa ou como simplória de bom coração. Ele é encorajado a tornar-se um leão, grande falador, quando na verdade é dominado por preguiça. Uma imagem que nos diz sobre orgulho e vaidade, sobre a superficialidade dessa relação interior e mantém o homem no mesmo lugar, sem crescimento.


Os valores e profundidades de alma esquecidos em geral apresentam-se através de figura feminina sem muita forma, escondida, de rosto indistinto ou doente. Outra possível imagem é de uma mulher mais jovem, representando uma parte que ainda não amadureceu. Esta é uma potência para o crescimento, mas em seu lado negativo pode significar juventude em excesso.


A figura da prostituta, também muito frequente, pode ter algumas conotações: pode evidenciar que o homem se entrega com muita facilidade a qualquer influência que se depare. Emoções e sentimentos mudam a toda hora, não há verdadeiro envolvimento com sua vida interior. Já a velha prostituta pode apresentar um significado mais positivo: certa impessoalidade em assuntos humanos, como é vivida, nada pode surpreendê-la. Mostra ao homem sua própria dose de permissividade, bom humor e compaixão.


As imagens femininas publicitárias que aparecem na psique masculina revelam, em geral, pouca individualidade na sua maneira de ser. “Quanto mais engraçadinha a anima, menos bonita a alma.” Outra figura bastante interessante é a menina-pássaro. Uma criatura etérea, flutuando no ar. Um homem tomado por essa anima encontra-se sempre ouvindo as sereias cantar, está sempre “viajando” em seus pensamentos e tem dificuldade de concretizar sua ação.


Uma figura oposta seria a que tem os pés de barro, a mulher do mato ou a própria matéria, terra. Reflete uma mente que coloca o feminino em posição inferior ao intelectual urbano. Pode revelar uma total falta de contato com esta energia, relegada, um homem sem nenhuma conexão com sua criatividade. Já a figura de uma moça de cultura antiga, como egípcia, judia, mediterrânea, etc, que vem de uma camada do tempo anterior à ruptura entre sensualidade e espírito, é bastante positiva, pode indicar o contato com uma camada mais ampla interior, uma nova conexão de mais profundidade.

Por fim, a imagem mais conhecida é a da moça jovem e atraente, dançando ou nadando, associada a elementos como cor, música, corpo e água. Pode ser provocativa ou apenas exercer fascínio de forma tranquila. Ela é capaz de mobilizar a libido e as emoções e traz algo de natural ou animal. O pai dessa figura costuma ser bastante interessante também. Essa figura vem chamar o homem para mais atenção com seu mundo emocional, inconsciente, instintivo, vem chamar o ego para integração.


A figura paterna que provoca também atração indica o caminho para a plenitude masculina: integrar o feminino, aceitar seu mundo de emoções, instintos, etc.


Essas são algumas figuras possíveis, você já sonhou com alguma delas? Quando falamos em anima e animus, vale sempre pontuar que são conceitos desenvolvidos em outra época, então muita coisa pode já não fazer sentido. O livro utilizado como base foi escrito em 1965. O mais importante é ficar e explorar o que fez sentido, não agarrar tudo. Espero que esse texto possa ter ajudado a olhar um pouco mais para dentro.


Comments


bottom of page